; O Blog da Coccinella: Novembro 2005

quarta-feira, novembro 30, 2005

Estou com o nervoso miudinho e nem sei bem porquê. Não consigo estar sentada, não consigo estar de pé. Não me apetece estar aqui, mas também não me apetece estar noutro lugar. Detesto quando isto acontece, principalmente, quando não há nenhum motivo para que aconteça. Normalmente, sinto isto quando tenho alguma coisa marcada, alguma coisa importante, mas ainda nem sei se saio ou se fico em casa... E depois, quanto mais luto contra esse nervoso miudinho, mas stressada fico... Bah! Vou respirar fundo, não pensar durante cinco minutos...

terça-feira, novembro 29, 2005

Cioccolato

Ando a comer chocolate às "pazadas"... Pronto, ok, também não é TANTO assim, porque ao segundo quadrado já fico toda enjoada, mas passado uma hora já passou e vai mais um e como não enjoo só com um, vai outro logo a seguir... Mas depois há o leite chocolatado (vício que "apanhei" nas minhas férias andaluzas)... E depois é: "ah e tal, porque estou gorda e com borbulhas!", mas aquela porcaria é tão boa e, segundo a C. me disse, desperta... Pelo sim, pelo não, vou levar uns quadradinhos para a minha formação. :)

segunda-feira, novembro 28, 2005

Os títulos sempre foram o meu maior problema...

Como seria de esperar (porque fim-de-semana sem um dia de neura, já não é fim-de-semana), ontem a "depre" apareceu... Muito devagarinho, pé ante pé, lá se foi instalando... Fui almoçar-lanchar ao CoimbraShopping e fui logo assaltada por recordações. Segui o conselho do psi e, em vez de evitar pensar, lembrei-me de tudo. Dos almoços-lanches de domingo que aí fazia com o G., da vez que ele me pregou um susto de morte, em Lisboa, quando estava a almoçar, da história do salame dado na boca...

Cheguei a casa com a neura e a "depre" já completamente donas e senhoras de mim... Voltei a seguir o conselho do psi e chorei... Tinha vontade de fazê-lo e não segurei as lágrimas... A verdade é que me senti muito melhor depois e estive o resto da noite muito bem disposta.

Estou seriamente a pensar em desistir dos gajos. Ir para freira, tornar-me lésbica (já andei aos beijos a uma rapariga, por isso, não falta tudo! ;) ), ficar solteirona são hipóteses que tenho ponderado. Ao longo da minha vida, os gajos só me têm dado dores de cabeça. A primeira grande dor foi com o N., a primeira paixão, o primeiro por quem chorei... Depois foi o J., a primeira "panca"... Seguiram-se o C., o primeiro mais velho, o J., ou como o "amor" é mesmo cego e a primeira amizade colorida. O R., a GRANDE paixão. O L., o primeiro a sério, quatro anos + um a bater fortemente com a cabeça na parede ou como as amizades coloridas com ex's nunca dão resultado. O G., com quem fui realmente eu e que me partiu o coração em mil pedaços. E agora, o I....

sábado, novembro 26, 2005

Sinto-me...

... estranhamente calma...

Será que de tanto dizer a mim própria que é só uma paranóia, já interiorizei isso?

Estranho, muito estranho...

sexta-feira, novembro 25, 2005

À volta

A expressão "as voltas que a vida dá" nunca esteve tão correcta, embora seja certo que deu voltas para voltar ao mesmo sítio. Há cerca de dois anos atrás, estava a pensar na mesma coisa que ando agora a pensar. As circunstâncias são diferentes, antes era o facto de não ter emprego, agora é o facto de não gostar muito do meu emprego... O meu psi sugeriu, em prol da minha boa saúde mental, que pensasse em tirar uma pós-graduação, um mestrado, qualquer coisa... mas fora do país. É claro que sou muito a favor desta ideia, principalmente, se esse fora do país for em Itália. :)

Há dois anos atrás, decidi não apostar nessa opção... Valores mais altos (ou que eu achei que o eram) se levantaram... Agora que estou a escrever isto, apercebo-me da maneira diferente como encarei as duas grandes relações da minha vida... Que deram em exactamente no mesmo... nada! Pronto, ok, este nada quer dizer que acabaram, deram-me sempre alguma coisa, nem que fosse um coração partido (mas já tenho a fórmula mágica para se superar: 1º-dessensibilizar; 2º-encarar a pessoa; 3º-desviar as conversas - e se conseguir fazer tudo, vou gostar mais de mim - ajuda preciosa do meu psi; para mais esclarecimentos quanto à fórmula é só perguntar)

Mas voltando à possibilidade do estrangeiro, esta foi sempre uma ideia que me fascinou (fui vista como corajosa em ter ido cinco meses seguidos, sem nunca vir a casa, para Turim... Coragem, coragem teria sido ir um ano...)... E como já disse, na minha vida perfeita, estaria a trabalhar em Itália. A verdade é que as saudades têm sido muitas. Tenho sonhos recorrentes de que estou em Turim. A minha vida seria muito diferente da que tinha quando Erasmus (ter uma aula por dia e quando ia, era uma vida de santa! Como costumo dizer, em cinco meses, tirei duas semanas para estudar)... Mas ando com vontade de sair daqui... De conhecer pessoas novas... Essencialmente, de me re-inventar, sair deste ciclo vicioso que é a minha vida, onde por mais voltas que dê, acabo sempre no mesmo lugar.

Acabou!!!

Yeah! Acabou... acabou... acabou... ACABOU!!!!! Yeah! :)

Com tantas coisas boas e interessantes para fazer, estou aqui fechada, à espera que o tempo passe... Sim, porque trabalho que é bom, nada de nada!

quarta-feira, novembro 23, 2005

Menina...

... ele é preto.
Tem câmara digital.
Ecrã externo.
Toques MP3.
Reprodução de vídeo MPEG4...

Menina, você tem um telemóvel na cabeça!

Ihihih! :)

A solução

Qual é a melhor solução para esquecer que o nosso chefe é um ditador?

Uma travessa de batatas fritas ao almoço!

:)

terça-feira, novembro 22, 2005

A nostalgia

Ontem deu-me a nostalgia antes de deitar. Como não posso "desenterrar" muitas coisas (que saudadinhas da minha casa!), lá fui buscar o que estava mais à mão... Bon Jovi! Três musiquinhas apenas que me transportam para há dez anos atrás... Numa época de 1510, BB's e Reservas...

Mas depois, adormeci ao som disto...

"O que significa?"

Sou abordada algumas vezes para saberem o significado do que tenho "escrito" nas costas. É claro, que a resposta é sempre a mesma: "Não digo. É segredo!". Na sexta-feira, aconteceu mais uma vez. Um rapazinho chegou ao pé de mim e fez a pergunta: "O que siginifica a tua tatuagem?". Como seria de esperar, a resposta foi: "Não digo. É segredo!". Mas se a maioria das pessoas até aceita a resposta, o rapazinho não. Insistiu e voltou a insistir, começou a dizer que também queria fazer uma e queria saber o que significava. Lá lhe disse que a minha não servia para ele e que não, não lhe dizia, pois nem a minha mãe sabe. Mas ele lá voltou a insistir e a argumentar que se não lhe dissesse, não nos poderíamos conhecer. E eu lá lhe respondi outra vez: "Não digo!". Mas o rapazinho era bem persistente e estava mesmo decidido em descobrir o que os meus caracteres querem dizer e foi em busca de um chinês.

Agora digam-me lá qual é a probabilidade de encontrar um chinês no Noites Longas? Estava eu muito descansada e já nem me lembrava do episódio, quando chega o rapazinho com um chinês. Fez as apresentações e pediu-me para eu virar as costas. Com um bocado de receio com o facto do meu segredo ser revelado, lá mostrei a tatuagem... É claro que não estava a contar com o que se passou a seguir... O "chinês" perguntou-me se era um nome. E eu disse que não. E depois perguntou-me se era japonês ou chinês. E eu disse que era chinês. Aqui fiquei com a "pulga atrás da orelha" e perguntei: "Mas tu és chinês?"... Afinal, o "chinês" era sul-coreano e não percebia nada! É claro que me desatei a rir e disse ao rapazinho... O pobre ficou muito triste, mas não desistiu e lá foi em busca de mais outro chinês.

E agora digam-me lá qual é a probabilidade de encontrar dois chineses no Noites Longas? O rapazinho lá voltou, todo triste e a insistir para que eu lhe dissesse. É claro que a resposta foi: "Não digo. É segredo!". :)

segunda-feira, novembro 21, 2005

Hoje estou sem inspiração... :(

sábado, novembro 19, 2005

Ontem ouvi esta e sorri.

"I think I'm drowning
asphyxiating
I wanna break the spell
that you've created

you're something beautiful
a contradiction
I wanna play the game
I want the friction

you will be
the death of me
yeah, you will be
the death of me

bury it
I won't let you bury it
I won't let you smother it
I won't let you murder it

our time is running out
and our time is running out
you can't push it underground
we can't stop it screaming out

I wanted freedom
but I'm restricted
I tried to give you up
but I'm addicted

now that you know I'm trapped
sense of elation
you'll never dream of
breaking this fixation

you will squeeze the life out of me

bury it
I won't let you bury it
I won't let you smother it
I won't let you murder it

our time is running out
and our time is running out
you can't push it underground
we can't stop it screaming out
how did it come to this

you will suck the life out of me

bury it
I won't let you bury it
I won't let you smother it
I won't let you murder it

our time is running out
and our time is running out
you can't push it underground
we can't stop it screaming out
how did it come to this"

Muse - Time is running out

Dois...

Não é que já viva tão obcecada com esta contagem, mas... dois... mais rápido que o um...

Ambrósio...

... apetece algo, mas algo boooom!

Hoje apetece-me que aconteça uma coisa boa, que me deêm uma boa notícia... Acho que mereço, não?!?

Mas estou a ver que não... :(

quinta-feira, novembro 17, 2005

Parabéns...



... a nós! P., já lá vão 12 anos... :)

quarta-feira, novembro 16, 2005

Boas notícias para quem tem sorrisos metálicos: as palhinhas esticam a Coca-cola e tiram-lhe o gás!

Como é bom a alegria no trabalho!

Datas históricas

16 de Novembro faz parte das datas da minha história. Tal como 19 de Setembro, 08 de Abril, 05 de Maio... 2003, 2005, 1998 e 2002...

09 do 09 de cada ano é inevitável...

Depois há também o 17 de Novembro e o 22 de Abril. 1993 e 1994.

O 02 de Junho de 2000 também é histórico.

E o 22 de Outubro deste ano vai ficar como o começo mais louco de uma, espero eu!, boa amizade.

20 de Fevereiro de 2002, foi o começo e 20 de Julho do mesmo ano, o fim...

E mais, muitas mais que já passaram e que outras que ainda vão acontecer!

terça-feira, novembro 15, 2005

O príncipe encantado e o mundo perfeito

Como seria de esperar, ontem é claro que ficou alguma coisa por fazer. Estava tão cansada, que não ia conseguir fazer tudo e, como é óbvio, foi o ginásio que ficou para trás, pois não ia deixar de levar a minha mãe às suas danças.

Para me entreter, fui ao cinema all by myself, toda contente da vida e a pensar que até sou uma rapariga fixe e que, de vez em quando, até gosto de mim (não me perguntem a razão destes pensamentos, mas juro que pensei isso!). Já me tinha decidido quanto ao filme, mas estava um bocado naquela, era uma comédia romântica, estava com medo de sair de lá um bocado "depre". Mas lá arrisquei, com um balde de pipocas (o que foi um decisão muito sensata para quem não foi ao ginásio, mas apetecia-me!) e fui ver o Elizabethtown. Tem tudo o que uma comédia deve ter: um rapaz lindo (ai aquele Orlando Bloom tira-me do sério!), uma rapariga linda e uma história super romântica, que nos faz sonhar pelo príncipe encantado... E, ao contrário do que esperava, sai de lá com um sorriso nos lábios e de bem com a vida. Ah! E com uma importante lição de vida: dar só cinco minutos à tristeza e depois, pofes!, mandá-la passear! (e aquele Orlando Bloom é mesmo giro!)

...

Ontem queria muito que acontecesse uma coisa, mas não aconteceu, paciência, a vida continua! :) Mas andei o dia todo a dizer a mim própria: "No meu mundo perfeito, isto acontecia!", até que cheguei à brilhante conclusão que no meu mundo perfeito eu não pedia isso, porque no meu mundo perfeito eu nem estaria aqui! No meu mundo perfeito, seria uma jornalista desportiva, a trabalhar no "La Stampa", em Turim, e era casada com o Seedorf! Mas infelizmente, não vivo no meu mundo perfeito e tenho que me ir contentado com o que a vida me vai dando (o que não posso dizer que seja muito mau, mas nunca estamos satisfeitos com o que temos)!

segunda-feira, novembro 14, 2005

Quero ir dormir!

Descobri que o meu melhor amigo é o meu sono reparador. Sem ele não sou nada! Ontem, ao final da tarde, lá veio a neura... Só me apetecia desaparecer, fugir, tirar férias de tudo e de mim... É claro, que tudo isto se deveu ao facto de só ter dormido quatro horas na noite anterior (o tal mistério que finalmente já desvendei). A solução para os meus males estava em deitar-me cedinho, descansar, o que, claro!, não fiz. Resultado: hoje estou a arrastar-me no trabalho (ainda não fiz nada de jeito), com dores de cabeça e não me chateiem muito, pois a resposta pode sair meio torta! E só de pensar que o dia vai ser loooooooooooongo... Trabalho até às 18h, depois servir de motorista à mamã, ginásio às 19h30, voltar a servir de motorista à mamã, secar durante duas horas em Coimbra, enquanto a mamã se diverte na aula de danças latinas... Quero tanto a minha caminha!!

...

É oficial! Sofro de stress moderado! :) Descobri isso depois de fazer um teste na Visão. É claro que já suspeitava que alguma coisa não andava muito bem, devido aos meus elevado níveis de ansiedade num certo campo da minha vida, o que nunca foi normal, e às minhas dores nas costas, que tem sido piores que o normal. Lá tenho eu que voltar às minhas sesssões de cromoterapia, cristais e massagens. :)

domingo, novembro 13, 2005

(In)Decisões - a conclusão

Já está tudo esclarecido! ;)

(In)Decisões

"há coisas que decidimos fazer das quais nos arrependemos para sempre.
há coisas que decidimos não fazer das quais nos arrependemos para sempre.
não decidir talvez leve ao maior dos arrependimentos..."

lowflyer

Socorro-me das palavras de um amigo para começar este post. Não tenho a decisão que ele tinha em mãos, mas não deixa de ser importante para mim e para o meu futuro próximo. Tenho andado o dia todo a pensar e a repensar, a decidir e voltar a decidir... Detesto ser indecisa para algumas coisas... para as coisas mais difíceis... Principalmente, tenho medo... Tenho medo de arriscar, de dar uma valente cabeçada na parede... Por outro lado, acabava logo com a história... Tenho medo que sejam só filmes da minha cabeça. Mas por outro, seguia em frente... Detesto pensar tanto. Seria muito mais fácil se conseguisse levar a vida mais na desportiva, sem stresses, à espera que as coisas acontecessem, com muita calma, o que, como já estou farta de escrever aqui neste blog, não tenho conseguido ultimamente. Sei que as coisas acontecem quando menos esperamos, mas não me tenho conseguido abstrair, não conseguido deixar de pensar.

Ai! Porque é que complico tanto a vida? Sim, porque eu sei que eu é que a complico... Porque é que quando decido uma coisa, não me agarro a ela até ao fim?

Não sei o que faça...

sexta-feira, novembro 11, 2005

Estranho

Algo de muito estranho se passou... Chefias do passado a meterem conversa comigo no messenger... Huumm... muito estranho!

Conversas de cabeleireiros

Se há coisa que estou constantemente a mudar é o meu cabelo... Nunca consigo estar muitos meses com o mesmo aspecto. Se num dia digo que o vou deixar crescer, sou bem capaz de no outro ir à cabeleireira e fazer um corte radical. Já o tive bem comprimido, à rapaz, encaracolado, todo direito, uma ponta para cada lado...

É claro, que isto também se deve a ter uma óptima cabeleireira, em quem eu confio muito. Não vou a mais lado nenhum, só aquela... A "panca" é tanta, que durante os cinco meses que estive em Itália não coloquei os meus ricos cabelinhos nas mãos de nenhum "parrucchiere", porque era cada penteado que desfilava pelas ruas de Turim, que eu só de pensar nisso tremia toda e preferia andar de cabelo apanhado (gosto de mudar, mas tinha muito medo do que podia sair das mãos de um "parrucchiere"!).

Além dos cortes e tamanhos, as cores também não são grande problema para mim desde a primeira vez que fiz quatro madeixas (duas à frente e duas no meio do cabelo)... Já fui loura, já fui "vermelha" e agora estou "ruiva" desde ontem!

A grande questão

"Tu sai difendermi e farmi male
Ammazzarmi e ricominciare
A prendermi vivo
Sei tutti i miei sbagli

A caduta libera
E in cerca di uno schianto
Ma fin tanto che sei qui
Posso dirmi vivo

Tu affogando per respirare
Imparando anche a sanguinare
Nel giorno che sfugge
il tempo reale

Sei tu a difendermi a farmi male
Sezionare la notte e il cuore
Per sentirmi vivo
In tutti i miei sbagli

Non m' importa molto se
Niente è uguale a prima
Le parole su di noi
Si dissolvono così

Tu affogando per respirare
Imparando anche a sanguinare
Nel giorno che sfugge
Il tempo reale

Sei tu a difendermi e farmi male
Sezionare la notte e il cuore
Per sentirmi vivo
In tutti i miei sbagli

Tu affogando per respirare
Imparando anche a sanguinare
Nel giorno che sfugge
Il tempo reale

Sei tu a difendermi e farmi male
Sezionare la notte e il cuore
Per sentirmi vivo
In tutti i miei sbagli


Tu il mio orgoglio che può aspettare
E anche quando c'è più dolore
Non trovo un rimpianto
Non riesco ad arrendermi
A tutti i miei sbagli

Sei tutti i miei sbagli
Sei tutti i miei sbagli
Sei tutti i miei sbagli"

Tutti i miei sabgli - Subsonica


Depois do reforço musical da hora de almoço, espero que a tarde corra... Mas a grande questão impõe-se: optimista ou nem por isso?... já que não me consigo abstrair...

Eu...

... adoro batatas fritas

... adoro castanhas

... adoro banhos de água a ferver

... adoro o sol

... adoro beijos no pescoço

... adoro leite quente com bolachas ou torradas

... adoro o italiano

... adoro joaninhas

... adoro ser canhota

... adoro abraços

Eu...

Pergunta do dia

Quem é a tótó que tem três despertadores e mesmo assim adormece?

(ofereço um prémio a quem acertar! :) )

quinta-feira, novembro 10, 2005

Ihihihih!

(Apeteceu-me!)


ps: sei que ultimamente as blogadas têm sido muito estranhas e muito pessoais, mas, como já referi aqui, esta é a minha terapia preferida e, na maioria das vezes, escrevo para mim, para deitar cá para fora o que me vai na alma. Peço desculpa a quem tem a paciência de me ler se "encripto" as coisas, mas é mais fácil para mim, os "recadinhos" só eu é que os entendo e depois resolvo os problemas com as pessoas (quando acho que têm que ser resolvidos, porque na maioria das ocasiões é o que me vai na cabeça no momento e depois passa!). Era só isto! :)

quarta-feira, novembro 09, 2005

Eu quero... E tu?

Auto-censuro-me e não escrevo... Assim, evito confusões e chatices...

Escrevo, não escrevo, escrevo, não escrevo... Aaaaaaahhhhh! É tão triste ser indecisa. :(

terça-feira, novembro 08, 2005

Comprinhas, comprinhas!

Ihihih! Hoje vou fazer uma coisa que adoro fazer... esturrar dinheiro em roupa! :) Vou às compras a Coimbra, não sei se com a minha P. se all alone... O que interessa é que vou fazer uma das minhas terapias preferidas. :)

segunda-feira, novembro 07, 2005

A proposta e outras coisas mais...

Este fim-de-semana fizeram-me uma proposta indecente de tão irresístivel... Perguntaram-me se queria ir a Lisboa... É claro que a minha resposta foi um sonoro SIM! Ainda mais com a companhia que é, vai ser a loucura total.

Mas se esse dia ainda demorar muito, tenho o próximo 08 de Dezembro para por as saudades da capital em dia... E acho que também vai ser muito fixe... Eu, a minha P. e a minha ex-ex-cunhada...

...

Ontem foi dia da melhor coisa que este tempo tem... Castanhas!!! O meu segundo vício gastonómico depois das batatas fritas...

...

O meu melhor companheiro nestes dias tem sido o meu leitor de MP3 e a minha colecção de Cd's. Tenho que agradecer a quem teve a brilhante ideia de mos oferecer, o que não deixa de ser um bocado irónico... ;)

domingo, novembro 06, 2005

"Esta ânsia que me corrói"

Ontem o cansaço e a vontade de sair andaram às turras até bem ao fim... Venceu o cansaço. Apesar de a minha disposição ter intercedido, porque bem precisava de espairecer e ser animada, o cansaço foi mais forte e depois do jantar de trabalho (ufa! já acabou!) fui para casa, afogar a neura num bom sono reparador. É claro que me arrependi um bocado, pois quando disse à S. que não ia, ela respondeu que a minha P. tinha confirmado que ia ter connosco... Fica para a próxima (que, provavelmente, será já na 6feira num jantar de "gaijas")!

Mas o sono reparador também não foi má opção. Não tinha dormido nada (para mim, três horas, que nem foram seguidas, não é considerado dormir) na noite anterior (um mistério que gostaria de desvendar, pois já é um episódio reincidente), estava com uma dor de cabeça enorme e com uma neura que não me fazia boa companhia para ninguém. Assim, dormi, reflecti e já estou bem de novo... E espero ter aprendido a lição desta vez (porque se não, a minha mãe é capaz de me bater!).

Tenho que, uma vez por todas, ter CALMA e deixar de querer viver tudo rapidamente. "Esta ânsia que me corrói" (vou roubar esta frase ao meu tio M., que está sempre a dizê-la e que eu sempre adorei) tem que se acalmar, porque assim não dá e começo a não ter pachorra para mim mesma.

quinta-feira, novembro 03, 2005

Uma imagem fantástica

Oito e qualquer coisa da manhã... Informações de trânsito no porgrama "Bom dia Portugal" da RTP1... Um acidente numa estrada em Lisboa... Na imagem, vê-se o carro no meio da via, o rail todo amolgado e um carro da polícia... O comentário do jornalista: "Uma imagem fantástica! O rail está todo destruído!"...

Já não há pachorra...

... para os prémios da MTV! Desde as 10h da manhã de hoje, tem sido uma injecção de prémios MTV na Antena3 que já cansa. E sem contar com as inúmeras notícias em tudo o que é telejornal. Eu gosto de ver os prémios (embora não os vá poder ver), até não me importava de lá ir, mas isto já começa a cansar. Ok, não é todos os dias que isto acontece em Portugal, mas será preciso tanto?

Mas o melhor momento do dia, foi quando uma rapariga, que estava a ser entrevistada pela Antena3 e respondia à pergunta "Que artista vens ver?", disse: "Eu queria mesmo era ver a mulher da minha vida, a Jennifer Lopez!"...

E já agora que estamos numa de música, começo a sentir-me uma autêntica anormal por não gostar, mas alguém me explica o porquê de toda a agitação com os Coldplay? Serei só eu?

Sorry!

Serve este post para pedir desculpas publicamente à minha Lau, por me ter esquecido do aniversário dela! Desculpa... :(

Às vezes, pergunto-me se certas pessoas são mesmo burras ou fazem-se!

Para mim, gostam mesmo é de chatear!

quarta-feira, novembro 02, 2005

A culpa é...

"A culpa não, não é do Sol
Se o meu corpo se queimar
A culpa não, não é do Sol
Se o meu corpo se queimar
A culpa é da vontade
Que eu tenho de te abraçar

A culpa não, não é da praia
Se o meu corpo se ferir
A culpa não, não é da praia
Se o meu corpo se ferir
A culpa é da vontade
Que tenho de te sentir

A culpa é da vontade
Que vive dentro de mim
E só morre com a idade
Com a idade do meu fim
A culpa é da vontade

A culpa não, não é do mar
Se o meu olhar se perder
A culpa não, não é do mar
Se o meu olhar se perder
A culpa é da vontade
Que eu tenho de te ver

A culpa não, não é do vento
Se a minha voz se calar
A culpa não, não é do vento
Se a minha voz se calar
A culpa é do lamento
Que sufoca o meu cantar

A culpa é da vontade
Que vive dentro de mim
E só morre com a idade
Com a idade do meu fim
A culpa é da vontade"


"A culpa é da vontade" - Humanos

Ultimamente, o meu quarto mais parece um campo de guerra de tão desarrumado. Além de ter vergonha na cara sobre o estado de desarrumação em que aquilo chegou, os constantes apelos da minha mãe começaram a fazer efeito ontem... A preguiça era muita, mas lá me decidi a arrumá-lo. Fui buscar o meu leitor de MP3 e os cd's para escolher a banda sonora para me ajudar na minha tarefa. Só que tive a brilhante ideia de me encostar um bocado à cama... Conclusão: deixei-me ficar bem enroladinha e a mudar os cd's conforme o que me apetecia ouvir. Soube muito bem, porque já não estava muito tempo só a ouvir música. E ouvi isto, isto e isto... E muito disto, disto, disto e disto.

"Para mim tanto me faz..."

Ontem fui levar o meu mano ao Porto. Como ainda ninguém tinha lanchado e eu e a minha mãe estávamos a morrer de fome (tal como o veículo), parámos na Estação de Serviço de Antuã. Fomos por gasolina primeiro e enquanto o meu mano tratava disso, eu fui pagar. Quando lá cheguei, estava um rapaz à minha frente a pagar umas revistas. Não lhe liguei muito, até que vi o reflexo na janela... Olhei e voltei a olhar para ter a certeza de quem era. Até que ele se virou e tive a certeza: era o Angélico ou David (como queiram) dos D'zrt! Tenho que confessar que o rapaz é todo giro! :) Quando cheguei ao carro, a primeira pergunta da minha mãe foi: "Pediste-lhe um autógrafo?". A resposta: "Oh mãe, achas que sim!". A contra-resposta: "Ai, eu tinha pedido!"

terça-feira, novembro 01, 2005

Festa!

Ontem não consegui ficar em casa... Foi mais forte do que eu. Tinha que sair e ponto final! Se ficasse, só pensava e pensava e remoia e voltava a remoer... Até que tive a brilhante ideia de falar com uma companheira de desventuras amorosas. Acho que há muito tempo que não tinha tido uma ideia tão genial (quer dizer... há umas semanas atrás tive outra, mas ainda estou para ver no que vai dar!). Foi muito fixe! A S. é uma óptima companhia! É claro que tivemos a partilhar as nossas experiências, como estamos a superar a tempestade... Já combinámos que a partir de agora trocamos mensagens ao fim-de-semana sempre que quisermos borga... E um jantar entre eu, ela e a P. também já está ser combinado, mas, de preferência, sem anti-histamínicos à mistura! :)