; O Blog da Coccinella: Outubro 2011

quinta-feira, outubro 27, 2011

730 dias

Dizem que o tempo cura tudo, cicatriza as feridas, acaba com a dor. O tempo faz ainda pior, aumenta a saudade, alarga o buraco, intensifica o vazio.

segunda-feira, outubro 24, 2011

No rep!

Quando me candidatei ao MBA, sabia que ia entrar numa área completamente diferente da minha e em que poderia voltar a encontrar os números e a matemática, coisas que nunca fui muito fã. Ora o que eu não sabia era que ia fazer orientação nocturna, crossfit, run & bike, canoagem e fugir  de snippers... E a acrescentar isto tudo, rappel com as mãos trocadas (isto de ser canhota complica algumas situações). Mas foi um fim-de-semana bem passado, com os coleguinhas do MBA e com muitas dores musculares à mistura. Quando é o próximo?

quarta-feira, outubro 12, 2011

Soltas (daquelas que já deviam ter sido postadas)

O mundo está perdido... A RFM é a rádio oficial do concerto dos Smashing Pumpkins!

O que é um mestre do underground? (ouvido na Casa  dos Segredos)

Oh vida malvada!

Antes queria ir de férias, mas não tinha dinheiro.

Agora que até tenho dinheiro, não tenho disponibilidade (quem marca um exame para dia 30 de Dezembro, senhores??).

A espera angustia-me. Principalmente a espera por algo que quero muito saber. Não me importo de esperar por outras pessoas, desde que não tenha pressa. Não me importo de esperar por me darem informações, se não precisar delas urgentemente para fazer o meu trabalho ou este não está empatado por causa disso. Mas quando quero muito uma coisa, a espera angustia-me.

Quando me candidatei ao mestrado e depois ao MBA, via o e-mail 500 mil vezes por dia, sempre à espera da notícia... Que chegou quando menos esperei, como é óbvio!

Agora é a nota de Contabilidade... Vou ao mail de hora à hora. Não é que tenha esperança em passar, acho que o profe terá que ser muito criativo para arrancar um 10 daquele exame, mas mesmo assim estou ansiosa. A de Economia já está feita. Com boa nota. A segunda melhor, mas Contabilidade... E nesta altura do campeonato já nem quero saber o que lá vai aparecer. Só quero que apareça.

A espera angustia-me.

terça-feira, outubro 04, 2011

Ontem na aula de natação, um dos exercícios foi fazer cem metros a respirar de quatro em quatro braçadas e eu juro que um dos meus neurónios morreu com falta de oxigenação, pois há pouco quando estava para entrar na estrada fiquei feita parva à espera de um carro que ia cortar para o sítio de onde vinha, ou seja, tinha montes de tempo para entrar na estrada, mas parou-se-me o cérebro e ali fiquei.

O neurónio que ontem morreu vai-me fazer falta para o recurso de Contabilidade, pois aquela porcaria correu mesmo mal no sábado de manhã, mas pelo menos sei que não passei ao lado de uma brilhante carreira de contabilista.

Assim como assim, o de Economia nem correu mal, também o neurónio ainda estava vivo e o facto de ser com consulta também ajudou, só a terceira pergunta da produtividade marginal e coisas dessas é que não correu lá muito bem, mas também ninguém é perfeito e eu, por muito que gostasse de ser, não o sou e não o era ainda antes do neurónio morrer ontem.