; O Blog da Coccinella: Janeiro 2011

domingo, janeiro 30, 2011

Fé benfiquista

Depois do jantar com os coleguinhas da formação e depois de dizer que me tinham apresentado o G. num bar, que nos tínhamos conhecido num Benfica-FC Porto e que tínhamos começado a andar depois de um Benfica-Nápoles, o coleguinha R. diz:
- Então, vão-se casar quando o Benfica ganhar a Liga dos Campeões, ou seja, nunca!

sexta-feira, janeiro 21, 2011

Cocci do pai, Nella da mãe

Ainda a Luciana Abreu e o Yannick Djaló eram projectos nas cabeças dos pais deles e já os meus se aperfeiçoavam na arte de fundir os nomes.

Estava ontem a gozar com a sorte da pequena Lyonce Viiktórya, quando a minha mãe me relembrou que o meu nome também foi dado pela fusão dos nomes dos meus progenitores. A minha sorte, é que os meus pais são gente de bom gosto e sabem escrever bem em português.

quinta-feira, janeiro 13, 2011

Chapa 5

Depois da aula de segunda-feira ter sido com motores nos pés, vulgo barbatanas, ontem na natação andámos aos saltos para a água. Comecei de pés no bloco. Ainda é necessário respirar fundo duas vezes, mas já me atiro sem pensar muito na coisa. Depois passei para mergulhar de cabeça da parede e ir a bater pernas até à segunda fila de bolinhas. Depois mergulhar de cabeça ao lado do bloco. E depois, mergulhar de cabeça do bloco. Se o primeiro até não foi mau, o segundo foi chapa daquelas de ficar com as pernas vermelhas durante meia-hora!

Mas, de acordo com o profe, daqui a nada estou a fazer um duplo encarpado... Isso ou qualquer do género...

As minhas prendas de Natal

Depois de ter dado a última prenda de Natal na terça à noite, posso finalmente contar o que ofereci este Natal às minhas amigas (e a minha mãe aos meus tios e primas). Lá para Outubro, Novembro, começo a pensar nas prendas de Natal, mas no ano passado a inspiração era pouca. Já dei quase tudo o que havia para dar e não gosto muito de repetir prendas. Então pensei em dar uns cabazes com umas compotas e chás e coisas assim. Mas como nesta altura há sempre doce de tomate, marmelada e doce de abóbora em minha casa, pensei: "E por que é que não faço eu as compotas. Assim, aprendo a fazer e ofereço uma coisa original". Se bem pensei, bem decidi que sim, este ano as prendas seriam homemade. Expus a ideia à minha mãe que alinhou. Depois começou a parte mais fixe da coisa: pensar nos rótulos, porque queria dar algo que depois as pessoas pudessem ficar. A ideia era personalizar e nada melhor do que colocar fotografias nos frascos. Cada amiga teve direito a dois frascos de doce (um de maçã e um de pêra) com uma fotografia nossa (os meus tios eram fotos com a minha mãe e as minhas primas eram fotografias quando eram pequenas).

É claro que houve aventuras, porque a Coccinella da Silva tem sempre aventuras na cozinha. Embora na internet escrevam que o doce de maçã demora uma hora, isso não quer dizer que três quilos de maçã demorem esse tempo a cozer. E se a maçã demorou mais tempo a cozer, a pêra precisou de uma eternidade e a primeira fornada ficou pouco comestível.

A segunda leva de compotas já ficou melhor, apesar de ter ficado sem parte de uma unha e os dedos castanhos de passar uma manhã a descascar pêras.

Mas tudo compensou ao ver a reacção das pessoas a abrir os saquinhos e ver os frascos que decorei com toda a amizade e carinho.

Para este ano, já tenho ideias...

sexta-feira, janeiro 07, 2011

Não é bom ficar-se doente em Portugal... Ou melhor, não é bom ficar-se doente em Coimbra... Ou melhor, não é bom ficar-se doente em Coimbra durante o dia... Ou melhor, não é bom ficar-se doente em Coimbra durante o dia e não ter dores.

Bom, bom deve ser ficar doente em Coimbra depois das 23h30 e ter dores. Pulseirinha amarela no pulso e é-se atendido num instantinho.

(Também deve ser bom ir ao hospital queixar-se de tonturas e desequílibrios e coisas dessas e sair de lá com uma moca do caraças. :D)

quinta-feira, janeiro 06, 2011

A maioria das vezes é mesmo isto

Roubado daqui.

domingo, janeiro 02, 2011

Eu, Coccinella da Silva

No grande desafio de Natal da Pólo Norte, calhou-me enviar o postal à Mary. Como ela está actualmente a morar em NY, decidi enviar-lhe algo entre o Galo de Barcelos e o Pai Natal. Tudo correu às mil maravilhas, tirando o facto de me ter esquecido de referir qual era o meu blog, o meu mail ou qualquer referência a mim própria a não ser o meu nome. A Mary agradeceu no blog dela o postal, mas reclamou que nada sabia sobre mim. Mary, aqui vai:

O meu nome é Coccinella da Silva, vivo na Santa Terrinha e trabalho como RP na associação do marketing dos leitões. Tenho 30 anos feitos a muito custo. Os meus pais estão divorciados e tenho um irmão mais novo. Estudei na UM, fiz Erasmus em Turim e o mestrado na UFP. Sou benfiquista ferrenha, o que me "deu" um namorado super espectacular. Gosto de ler, ouvir música (o que há uns tempos criou o mito de que tinha uma cultura musical fantástica, mas é bastante mediana e tenho vários pecados pop), ir ao cinema e devoro séries de televisão. Tinha um medo de morte da água, mas decidi superar os meus traumas e entrei para a natação. Já não vou ao fundo, atiro-me de pés do bloco e já faço uma piscina de crawl, mas de costas é para esquecer. Adoro o verde e coisas com joaninhas. As minhas comidas preferidas são batatas fritas e castanhas assadas.

Cheguei!


E uma semana passou a correr! Mas foram umas férias fantásticas, que deram para recordar, para conhecer e para (re)viver tantas coisas. Deu para conhecer melhor Milão e descobrir coisas que não tinha visto antes. Deu para voltar a Turim e recordar e revisitar locais que fazem a minha história. Deu para descobrir Verona, uma cidade pequena, mas pela qual me apaixonei. Deu para matar saudades das pizzas, das massas e da Nutella. Deu para congelar com o frio. Deu para o meu companheiro de viagem apanhar uma gripe+sinusite+laringite daquelas. Deu para passar o ano num restaurante japonês e chegar primeiro a 2011. Deu para ver os fogos atirados no meio da rua. Deu para descansar e ficar cansada. Deu para querer voltar. Deu para querer ficar lá escondida e ir trabalhar para o McDonalds. Deu para decidir que as próxima férias em Dezembro são num país tropical.

Ah! Um bom ano para todos(as)!